quarta-feira, 6 de julho de 2011

Minha metamorfose é lenta mais acontece

Só pra avisar o post de baixo é bem velhinho eu escrevi ele antes de sair de férias.
Estou fazendo uma dieta que promete enxugar 10quilos em 10 dias
Meu cardapio de segunda foi:
Terça:
café da manhã:
3 biscoitos
1 copo de leite
1 colher de manteiga
Almoço:
pulei

Café da tarde:
1 tangerina

Janta:
(antes das 6 da tarde)
3 colheres de sopa de arroz
1 ovo cozido
salada de alface sem tempero

Quarta:
(hoje)
Café da manhã:
1 pedaço de queijo branco
3 biscoitos
1 copo de suco light
1 ovo cozido
Almoço:
2 colheres de arroz
1 ovo cozido


Preciso de um substituto para o ovo alguém indica, lembrando que não como carne (denovo)
bjos mais tarde posto a janta!!!
Pucca me passa seu msn please preciso falar com você!

Ja emagreci os 3 quilos estou com 70 e logo logo com 50 torçam por mim, tirei fotos de como estou horrível pra mostrar o antes e o depois bye thinspos do meu coração.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Los recuerdo es una foto

Hoje resolvi arrumar as pastas de fotos e de relembrar dos velhos tempos.
Resultado: choro,ódio, repulsa, como pode uma menina chegar a esse ponto. Eu explico: eu sou uma sem ação e vou mudar isso!
Como eu pude deixar chegar a esse ponto, sou a Miss Piggy. Estou monstruosa, horrível, se quiser me chamar de baleia pode chamar, eu vou entender que é verdade, me odeio... sem mais delongas
Estou fazendo a dieta dos pontos, logo mais eu posto ela aqui pra vocês.
Beijos as meninas que leem meu blog apesar dele ser enfadonho, mas é que nada de interessante acontece na minha vida...
Meu cardápio:
1 pão frâces 140kcal
1 copo de leite com adoçante 135kcal
1 colher de margarina 140kcal
1 pedaço de torta doce 184 kcal
1 copo de leite 135 kcal
3 bolachas salgadas 65 kcal
total:800kcal
laxante e anfetamina...

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Sinto-me a bactéria do coco da mosca que sobrevoa o bolo de fezes do cavalo do bandido, isso mesmo e sem nenhum drama...
Quebrei minha unha tentando entrar em uma calça 38, fútil?! Não, o problema não foi a unha que quebrei, mas a calça na qual  tentava entrar, não entrei, ela não passava por meu quadril, num impulso, doentio, de mostrar pra mim mesma que não engordei, acabei quebrando a unha, sabe o que senti?! NOJO, com todas as propriedades da palavra nojo, me senti nauseada, num estado neurótico em que somente a emêse seria capaz de me tirar. Foi quando decidi que voltaria á meus hábitos antigos afinal eles me faziam feliz, realizada, me faziam sonhar!
Hoje parei no corredor da faculdade em frente ao elevador, então um colega de classe parou a meu lado e me perguntou se eu não tinha vontade de voltar a ser criança, se não sentia falta do tempo em que a gente só precisava aprender o alfabeto e brigava com o professor dizendo que A era de abelha e não de abacaxi, o tempo em que não precisávamos de muito, tínhamos tempo de sobra pra brincar e ser feliz! Refleti por um momento e soltei a frase de praxe: “Eu era tão feliz e não sabia”.
Aquilo que não me faz falta foram às vezes em que sorri para esconder minha lagrimas e as inúmeras vezes em que perguntavam o que eu tinha e eu falava nada, quando na verdade sentia-me rasgando de dentro pra fora, mas escolhia esconder, pois era menos trabalhoso, era menos complicado. Quando dizemos que não estamos chateados que não temos nada, optamos por não ter que gastar tempo contando tudo aquilo que nos machuca, evitando assim um sofrimento maior.
O que fiz pela primeira vez não foi uma compulsão e sim uma crise compulsiva, eu comi porque tinha vontade de vomitar, naquele momento resolvi que vomitar, pela primeira vez, representaria um estado de total liberdade, de totalitarismo, pôr para fora aquilo que me engasga aquela porcaria de bolo de nada que mais se parece com um nó de vento misturado as palavras, malditas palavras, que insistem em descer e subir por meu esôfago, mas nunca saem.  Odeio nunca saber o que realmente quero, só tenho certeza que preciso retomar o controle de minha própria vida e minha sina é viver tentando controlar um impulso fisiológico de merda, que não me serve de nada, a fome, essa maldita palavra que me faz deixar a água cair de meus olhos como em calhas num dia de chuva, que me deixa desconfortável, a palavra que talvez mais se assemelhe a loucura, dentro desse mundo privado onde vivo e que ninguém tem o direito de saber, meu mundo secreto, meu maior segredo e meu maior refúgio. Ainda sonho com o mundo onde conseguirei emagrecer rapidamente, ai! Como tenho vontade de não ter um estomago, nem um intestino, mas não sou masoquista o suficiente para arrancá-los de mim. Como tenho sonhado com um tempo em que não gostarei do tecido adiposo do meu corpo e poderei tirá-lo aos pedaços com minhas próprias mãos, sozinha em casa, dentro do quarto sem dor alguma, onde não precisarei da maldita comida, que tanto mal tem me feito. Sonhos talvez até infantis, mas são sonhos.
Quando desperto me deparo com a realidade cruel do sofrimento, mais psicológico do que fisiológico, mutilar meu corpo, acabar com minha úvula, com meu esôfago, degradar aos poucos meu estomago, soltar sangue aos pedaços, é cruel, duro, mas é a verdade, sentir dores abdominais intensas e sorrir, sentir-me segura em um canto escuro do quarto e por lá permanecer, sentir vontade de ficar sentada no chão do banheiro por horas a fio tendo como único companheiro o vaso sanitário e fazê-lo.E a pior parte talvez, é viver com um spray na bolsa e um trident na boca para maquiar o mau hálito, você sabe que o estomago exala um cheiro de fossa, quando vazio, que faz parecer que você fez bochecho com a água da privada, então pensa e acha melhor falar somente o necessário e de longe evitando qualquer aproximação, afinal ninguém precisa saber, mas a verdade é que não é sua culpa é apenas um efeito colateral, que te faz viver em um ostracismo, o medo de que alguém tente te levar ao médico, de que alguém descubra seu ponto fraco e derrube seu único alicerce... O seu TRANSTORNO ALIMENTAR!
Hoje: 67,8kg rumo aos 50kg e mais a frente 40kg...